COMO FOI QUE O CINEMA ENTROU EM MINHA VIDA






No bairro onde eu morava tinha um cinema : Cine Santa Teresa. Foi onde conheci Maria Félix , Ninon Sevilla , Libertad Lamarque , Maria Antonieta Ponz , em filmes que tratavam de temas fortes. Detalhe: minha mãe me levava ao cinema desde os meus cinco anos.
Depois comecei a frequentar o Cine Art-Palace , especializado em filmes europeus. Foi uma festa ver Marina Vlady , Mylene Demongeot , Alida Valli , Antonella Lualdi , Rosana Schiaffino.
E então vieram os Épicos : Hércules , Maciste , Jasão , Teseu , Ursus , Rômulo e Remo . Porém Rosana Podesta e Jacques Sernas (Helena e Páris) em Helena de Tróia se tornaram simbolos da interminável magia que o Cinema é capaz de nos oferecer...



Daí este Blog.































quinta-feira, 29 de julho de 2010

DANNY KAYE E SIR LAWRENCE OLIVIER

Mind if I smoke?
        Talvez nem tenha acontecido nada... mas precisavam acariciar tanto as mãos para acender um cigarro ?  Danny Kaye foi um comediante sem concorrente , além de cantor e dançarino.   Lawrence Oliver era inglês e chegou á categoria de Sir pelo trabalho no Teatro britânico.  Levou um Oscar por Hamlet.   Foi casado com Vivien Leigh que não chegou a Dame , nem a Lady. Famosa pela Scarlett O'Hara   de E o Vento Levou , não teve muita sorte no Amor... Bem , livrar-se de um sujeito chato é uma espécie de Sorte.      Fala-se muito de E o Vento Levou  e de Um Bonde Chamado Desejo , mas o grande desempenho de Miss Leigh foi em A Primavera Romana da Sra Stone , talvez porque estimulada por Warren Beatty ( Paolo ).              Olivier e Leigh pareciam um casal inglês perfeito... e ai está o problema. Ter horário para tomar chá com dois cubos de açucar costuma massacrar casamentos no Reino Unido.  Vide a Princesa que sempre perdia a hora do chá e acabou perdendo a hora do jantar...
Se foi mesmo , como teria sido ?  Danny Kaye não parecia levar jeito para segurar asa de xicara e Sir Olivier não acompanhava o sapateado ágil de Kaye.   Como diz o Ditado : de onde menos se espera é que costuma não acontecer nada mesmo...


MARLON BRANDO

        Foi com Um Bonde Chamado Desejo ( A Street Car Named Desire) , primeiro atuando na peça , depois no filme , que Marlon Brando explodiu no cenário americano usando a camiseta branca , meio puída , meio suja , como exigia o papel do polonês Stanley Kowalski .
          O dramaturgo Tennesse Williams pode ter-se inspirado em algum parceiro meio violento , já que o personagem chegou na hora iniciando uma série de adaptações de suas peças para o Cinema.   Junto com Montgomery Clift e James Dean , Brando encabeça a lista de grandes atores americanos dos Anos 50.
           Brando apreciava mulheres exóticas , mas dizem que deu uns amassos em Marilyn Monroe quando ela ainda não tinha a fama de Sex Symbol. 
           A fama dele se deve muito à entonação vocal que fazia com que todos se sentissem desprezíveis.  As fofocas dizem que ele virava a casaca de vez em quando porque não sabia recusar uma proposta...
            O fato é que Truman Capote - outro que era do meio - entrevistou Brando no quarto do hotel , mas não entregou... O filme A Street Car Named Desire costuma ser traduzido como Uma Rua Chamada Pecado.   No papel da frágil  Blanche Dubois , Vivien Leigh levou o segundo Oscar.  Com razão ,porque Brando a tortura o tempo todo , até mandá-la para um sanatório.  Mas antes botou para fora tudo o que sentia por ela , inclusive o Desejo...
          É aquela história : como Blanche saiu da cama para o hospicio , a violência ficou entre quatro paredes e Stanley Kowalski viveu feliz para sempre ao lado da mulher submissa...

GRAN CINE BARDOT (BUZIOS - RJ)

 


              Em março de 1964 o Golpe Militar já era mais ou menos esperado pelos olheiros da Politica Internacional , porém o noticiário ocupou-se mais com a atriz francesa Brigitte Bardot , trazida ao Rio de Janeiro pelo então namorado Bob Zagouri .  No Rio , BB gravou um compacto duplo incluindo uma canção em Português : Maria Ninguém ( de Carlos Lyra ) .   Também constam da bolachinha: Ciel de Lit  , C'Est Rigolo  e La Madrague ,esta feita para ela em homenagem à casa em Saint-Tropez onde ela amou (entre outros mais) Sacha Diestel , Jacques Charrier (com quem teve o filho Nicholas) , Roger Vadim , Laurent Verger...o espaço é pequeno.                 La Madrague foi vendida depois que BB retirou-se do Cinema para envelhecer à moda Garbo ; I Want To be Alone...
         Ansioso para amar em paz , o casal revelou ao Mundo as praias de Búzios (balneário próximo a Cabo Frio , Arraial do Cabo , São Pedro da Aldeia , Iguaba Grande) onde Bardot ganhou um terreno na Praia dos Ossos ( famosa pelo affair Doca Street/Angela Diniz).      Em Buzios tem a estátua em bronze de BB sentada contemplando a Orla Bardot.
           Foi em Búzios que o cinéfilo argentino Mario José Paz ergueu o Gran Cine Bardot onde são realizados Festivais de Cinema com presença na nata nacional e internacional.  Paz confessa que começou a ver filmes fortes aos 05 anos de idade - então , Paz , eu comecei aos 04 anos -  quando tornou-se amigo do bilheteiro.
            No meu caso , minha avó era parteira e a mulher do bilheteiro tinha um filho por ano...


NAKED LUNCH ( ALMOÇO NU)

      O escritor  junk William Burroughs pegou pesado nos alucinógenos para descrever seus delirios no livro Naked Lunch.
Ele e Allan Ginsberg são exemplos da literatura americana out standard  , junto com Jack Kerouac e Charles Bukowiski , seus caminhos se cruzando com os de Gore Vidal e Tennessee Williams , uns mais adeptos de álcool do que drogas, mas sempre trocando reações...
Neste filme , o genial diretor David Cronemberg fez o possivel para encenar as alucinações de Burroughs (que vem a ser parente daquela célebre máquina de escrever) , colocando Judy Davis no papel da mulher morta acidentalmente. Aconteceu de Burroughs estar meio chapado  quando resolveu brincar com um fuzil carregado...
Bem idoso , Burroughs fez uma aparição no filme Drugstore Cowboy ( com Matt Dillon e Diane Lane ) , como ele próprio , já que o sonho de Dillon era se encontrar com O Papa...
Muita barata saindo dos locais mais inesperados ( do corpo inclusive) , monstrinhos que parecem fetos falantes , o excelente ator Peter Weirr fazendo o que pode para entender a onda...
Na longa jornada , mais nas próprias veias do que on the road , Burroughs foi parar no Marrocos onde se tornou prostituto num bordel masculino em Tanger... Todo escritor avant garde quer conhecer o Marrocos. Ao que se diz , bom é sentar no Café de Paris e ficar biritando enquanto as luzes de Espanha reluzem do outro lado do Estreito de Gibraltar .  Jean Genet está enterrado em Tanger e Paul Bowles não saía de lá...








terça-feira, 27 de julho de 2010

REBEL WITHOUT A CAUSE (JUVENTUDE TRANSVIADA)

     Mais uma tragédia americana , reforçada pela presença de James Dean , com destaque para Sal Mineo.  Adeptos dos pegas em carrões diante de abismos ,  garotos aprontam até que um deles se dá mal.
     A namoradinha do que se deu mal (Natalie Wood) logo se toma de amores pelo mais revoltado (James Dean) , que provocara involuntariamente a morte do lider da quadrilha Coca Cola.  
      Quase garoto , Sal Mineo se sai bem como um desequilibrado que carece de afeto e recebe toda atenção de James Dean , embora por uma noite. 
Dean , Wood e Mineo tiveram mortes trágicas , cada um do seu jeito... Dos três , Natalie Wood foi a que estrelou mais filmes. A participação de Mineo em Giant (Assim Caminha a Humanidade) é quase uma ponta : aparece de farda , partindo para a Guerra : depois supostamente dentro do caixão , que o diretor George Stevens optou por não abrir...

ELIZABETH TAYLOR , O PRIMEIRO OSCAR

     Em 1960 a polêmica girou em torno de duas prostitutas: a de Melina Mercouri em Nunca aos Domingos (Never on Sunday) e a de Elizabeth Taylor em Butterfield 8 ( Disque Butterfield 8).  Ao que se disse , a atriz grega deveria ter ganho , mas pesaram as indicações de Taylor nos três anos anteriores ,por papéis fortes em : A Árvore da Vida ; Gata em Teto de Zinco QuenteDe Repente...no Último Verão.
O quarto marido Eddie Fisher atuou em Butterfield 8  após separar-se de Debbie Reynolds para discar em tempo integral com Liz Taylor. 
Depois do Oscar ela recebeu a proposta para filmar Cleópatra recebendo cachê de um Milhão de Dólares ( o primeiro do Cinema americano) e tornando-se Mito.
Deu no que deu :   Richard Burton ganhou o papel de Marco Antonio (nome forte) no Telão e na vida real... enquanto Eddie Fisher ficava com o dedo preso no discador.

O IRRESISTIVEL TAB HUNTER

   Nos Anos 60 Tab Hunter estrelou um enlatado de TV : O Irresistivel Tab Hunter ,em que vivia ele próprio. Foi um dos idolos Teen de Hollywood , junto com Sal Mineo , John Saxon , Troy Donahue , John Derek , Jeffrey Hunter.
As biografias de Anthony Perkins apontam Tab Hunter como um dos casos dele , bem antes de casar-se com a irmã de Marisa Berenson , atriz e neta da estilista Elza Schiaparelli.   
 Já maduro atuou em dois filmes Cult do diretor John Walters , ao lado do travesti Divine. Assumidão , nunca se escondeu no closet. Na foto acima , com John Bromfield ao telefone.  Nessa ao lado , com Roddy McDowall , ele frita salsichas , enquanto o amigo lhe oferece um Bolo de Chocolate.
Naquela época , os Gays eram mais caseiros.  Depois de Stonewall , as tanajuras criaram asas ...

IMITATION OF LIFE (IMITAÇÃO DA VIDA)

   Em 1957 Lana Turner concorreu ao Oscar de Melhor Atriz, por Peyton Place (A Caldeira do Diabo). Também concorriam : Elizabeth Taylor , Anna Magnani , Deborah Kerr e Joanne Woodward (que levou o Oscar  por As Três Máscaras de Eva).
      Conta Lana na biografia que , depois da festa do Oscar ,foi agredida pelo amante , o mafioso Johnny Stompanato , enciumado devido ao sucesso dela.
      Imitation of Life teve uma versão com Claudette Colbert. No remake , Lana Turner ganhou participação nos lucros e enriqueceu às custas das lágrimas das platéias ,sempre receptivas à infelicidade alheia.
        Atriz já madura consegue uma chance no Teatro e finalmente tem seu talento reconhecido. Acolhe em sua casa Anne, uma mulher negra que tem uma filha inconformada com o fato de ser afrodescendente , embora pareça branca.
A sempre interessante Sandra Dee é a filha de Lora (Lana Turner) que , embora Teen , quer dar uns amassos no namorado gostosão da mãe...
A moça que finge ser branca (Susan Konner) concorreu ao Oscar de Melhor Atriz Coadjuvante . No final do filme , ela se arrepende tardiamente : a mãe (Juanita Moore) morreu de desgosto...

O OSCAR DE CHER

     No papel de Loretta Castorini , no filme Feitiço da Lua ,Cher levou o Oscar de Melhor Atriz.  Sua aparição na noite da premiação causou frisson devido ao figurino de tarântula estilizada.
     O par romântico com Nicolas Cage fez reviver as deliciosas comédias do gênero Katherine Hepburn/Spencer Tracey , Cary Grant/Ginger Rogers ,  Clark Gable/Claudette Colbert.
       O curioso sobre Cher : embora faça o tipo escandalosa , ela não promove escândalos na vida pessoal. O ti-ti-ti maior ficou por conta da opção da filha , hoje um rapaz.  Com uma mãe dessas , não dá para competir... melhor ser homem.
      O filme Minha Mãe É Uma Sereia , estrelado por Cher, mostrou uma situação em que a filha ( Wynona Ryder) não consegue conviver com com uma mulher sedutora e escandalosa.
       Em termos de figurinos escabrosos , Cher vinha sendo considerada imbatível , até que Lady Gaga... bem , isso já é  assunto para outro tópico.

segunda-feira, 26 de julho de 2010

MATT LATANZI

   Ele atuou por  10 minutos em Rich and Famous (Ricas e Famosas) , vestindo calça jeans uns dois números abaixo do seu tamanho...que depois despe diante dos olhos deslumbrados de Jacqueline Bisset.
Os jeans de James Dean (Juventude Transviada) e Marlon Brando ( O Selvagem ) foram detonados por aquela segunda pele que Matt Latanzi conseguiu vestir ninguém sabe como...
Coisas do diretor George Cukor.  Mas depois desse filme , Matt Latanzi não decolou , a não ser na relação com Olivia Newton-John...
Ser bonito ajuda bastante na carreira , porém nem todos se casam com Angelina Jolie...apesar daquela criançada dentro de casa , hum?  Um dia , as babás contarão tudo no gênero de Best Seller que americano curte ler nas praias da Flórida...

LEX BARKER

     Eleito o Tarzan mais bonito do Cinema , Lex Barker conseguiu atuar num filme italiano considerado a Obra Prima de Federico Fellini : La Dolce Vitta ( A Doce Vida ).
     Foi o quarto marido da atriz Lana Turner. A filha dela (Cherryl Crane) afirma que esse  padrasto teria cometido uns abusos e assédios. Ele escapou por pouco. O amante seguinte ( o mafioso Johnny Stompanato ) morreu esfaqueado por Cherrylzinha.
O fato é que Lex Barker era mesmo bonitão com aquele nariz de falcão. Pena que a juventude não seja eterna. E se alguém rir , estará rindo de si mesmo. Um homem como esse deveria ser embalsamado aos 30 anos , morto ou vivo. Merece visitação com cobrança de ingresso.
Bem , tem muitos filmes dele disponiveis , a maioria como Tarzan , mas La Dolce Vitta está ao alcance... e ainda tem Marcello Mastroianni e Anita Ekberg banhando-se na Fontana di Trevi , além da sempre estimulante Magali Noel.

THE ROMAN SPRING OF MRS STONE (A PRIMAVERA ROMANA DA SRA STONE)

   Roteiro do dramaturgo americano Tennessee Williams ,especializado em gente infeliz , começando por ele mesmo e seus parceiros chegados a uma violenciazinha...
Nesta versão , Helen Mirren (Oscar  por A Rainha) se envolve com um gigolô italiano , depois de enviuvar e tomar a decisão de morar num palacete em Roma , de frente para a tal escadaria da Piazza di Spagna (logo onde...).
Rodrigo Santoro faz o papel do michê pobre que ronda a Sra Stone como um abutre , aguardando o momento oportuno para dar um vôo rasante na carteira dela.
A carreira de Miss Mirren tem filmes curiosos , porém o mais bizarro continua sendo Calígula. O belo Olivier Martinez já tinha acabado com o casamento de Richard Gere em Infidelidade , quando seduziu Diane Lane.
Tem a historinha sobre Tennessee Williams: em Roma ele se envolveu com Rafaello , filho de um carabinieri. Os repórteres não perderiam esse bochicho...
Bem , o que se ouve mais em Roma é piada de Carabinieri...
Infelizmente a versão com Helen Mirren não chegou aqui e só pode ser vista sem legendas ou dublagem , mas pode-se ver a versão com Vivien Leigh e Warren Beatty , que faz o mesmo efeito : mulher madura que se envolve com gigolô jovem quer solidão pra se coçar...

DARLING (DARLING, A QUE AMOU DEMAIS)

   Julie Christie levou o Oscar pelo papel da moça insatisfeita ,mas já estava consagrada pela Lara de Doutor Jivago.
   Darling parece ter sido direcionado para a inglesa da Moda dos Anos 60 , quando Mary Quant lançou a mini-saia e os Beatles ainda não tinham detonado O Sonho.
   Bem acompanhada por Laurence Harvey e Dirk Bogarde , Julie vive a história de uma modelo e atriz que termina casada com um Principe mais velho ( Grace Kelly?) .  E quando tenta fugir para finalmente assumir o verdadeiro amor (Dirk Bogarde) ele lhe concede uma noite ,mas depois a obriga a voltar para o principado onde ela se sente infeliz.
     Laurence Harvey deu suporte a mais uma atriz oscarizada. Antes contracenou com a francesa Simone Signoret ( A Room at a Top -Almas em Leilão)  e a inglesa Elizabeth Taylor ( Butterfield 8- Disque Butterfield 8) , demonstrando ser Pé Quente em premiação feminina.
     Darling faz a linha de Blow Up (Depois Daquele Beijo), de Michelangelo Antonioni , rodado na Inglaterra , que explorou bem a Moda Anos 60 , colocando a modelo Jean Shrimpton e Vanessa Redgrave ao lado do beatlee David Hemmings.   Quem puder , vá a Londres tomar chá com The Queen...

quarta-feira, 21 de julho de 2010

AS HORAS (THE HOURS)


Baseado no livro do premiado autor americano Michael Cunningham , As Horas traz um trio de primeira linha : Nicole Kidman no papel de Virginia Woolf , Meryl Streep ( a Monstra detentora do recorde de indicações ao Oscar ) e Juliane Moore ,sempre impressionante em suas performances.
Uma escritora se atormenta continuamente , mas não descobre a razão, até levar ao ato extremo sua perplexidade. Pelo papel , Nicole Kidman levou o Oscar de Melhor Atriz.  
Anos depois , outra mulher atormentada (Juliane Moore) desiste do suicidio ao ler um livro escrito por Virginia Woolf ," Mrs.Dalloway". Assume a homossexualidade de forma dolorosa , abandonando a familia e semeando a Infelicidade. 
A mulher assumida e bem resolvida (Meryl Streep) tem uma filha já adulta e mantém um caso com outra mulher. O elemento de desequilibrio fica por conta de Ed Harris , o amigo soropositivo , de quem ela cuida . Ainda menino ,ele foi abandonado pela mãe (Juliane Moore) a quem idolatrava.  Enfim , um filme para platéias selecionadas... ou para assistir em noites de insônia , pois a trama
complicada poderá funcionar como sonífero.

RICH AND FAMOUS ( RICAS E FAMOSAS )

      O diretor George Cukor caprichou no elenco que tem Meg Ryan em inicio de carreira.  E a cena com Matt Latanzi vivendo um personagem incidental no caminho da escritora (Bisset) é uma das mais marcantes do gênero. Ele consegue ser puro e pecaminoso ,enquanto Bisset sucumbe aos poucos.
       A escritora intelectual é apaixonada pelo marido da amiga. Para redimir-se parcialmente , ajuda-a encaminhando ao editor um relato de fofocas ambientadas na vizinhança do condominio onde reside. Eis que
a amiga estoura na lista de best sellers e enriquece da noite para o dia.  Tipico dos leitores americanos.Vide
"O Vale das Bonecas".  Como bem definiu Maria Bethania no histórico show Recital na Boate Barroco:
" Mais uma história para o ócio dos que falam do amor das pessoas como de um terrível vício. A minha contribuição para quem ,com a infelicidade alheia ,compensa sua própria infelicidade".
      As grandes amizades são para sempre, como bem demonstra esta história.
E Candice Bergen está chiquérrima ,como sempre , embora usando um casaco de matança de lontras que deve causar náuseas em Brigitte Bardot , atualmente mais interessada em focas do que em homens.
É o Tempo.

Quem sou eu

Minha foto
Petropolis, Rio de Janeiro, Brazil
Jorge Domingos , Analista de Comércio Exterior ,louco por Cinema desde os 04 anos de idade.