COMO FOI QUE O CINEMA ENTROU EM MINHA VIDA






No bairro onde eu morava tinha um cinema : Cine Santa Teresa. Foi onde conheci Maria Félix , Ninon Sevilla , Libertad Lamarque , Maria Antonieta Ponz , em filmes que tratavam de temas fortes. Detalhe: minha mãe me levava ao cinema desde os meus cinco anos.
Depois comecei a frequentar o Cine Art-Palace , especializado em filmes europeus. Foi uma festa ver Marina Vlady , Mylene Demongeot , Alida Valli , Antonella Lualdi , Rosana Schiaffino.
E então vieram os Épicos : Hércules , Maciste , Jasão , Teseu , Ursus , Rômulo e Remo . Porém Rosana Podesta e Jacques Sernas (Helena e Páris) em Helena de Tróia se tornaram simbolos da interminável magia que o Cinema é capaz de nos oferecer...



Daí este Blog.































quarta-feira, 7 de janeiro de 2015

AQUELA TARDE EM QUE LUCCA MORREU AFOGADO

Ontem mesmo, alí na praia...
Agora mesmo, neste local...
                                                        
                                                          A mim, me parecia imortal.
                                                            Era imortal para mim que supunha
                                                            Jamais vê-lo morrer assim
                                                            diante dos meus olhos cansados
                                                            quase cegos com suas quedas e cataratas,
                                                            os olhos de um Velho...
                                                            Oh, não.  Ele desconhecia
                                                            minha existência, mas eu estava ali
                                                            todos os dias despindo-o na imaginação.
                                                            A Vida tem disso, a Morte também.
                                                            Ele nadava bem, os bons nadadores
                                                            se arriscam demais em meio às ondas.
                                                            Lucca !   Lucca !  alguém pôs-se a gritar.
                                                            ( Tadzio !  Tadzio ! a aristocrata
                                                            polonesa em Veneza).
                                                            "Eu quero uma vela da altura de Lucca".    
                                                            " Perdão, Cavalheiro".
                                                             " Nada, nada, pensei alto demais..."
                                                             Quanto quer para me empurrar
                                                             do alto daquele rochedo e assim
                                                             acabar logo com tudo isto?
                                                             Mas o vendedor de queijo coalho
                                                             seguiu o caminho de seu mundinho
                                                             sem sequer entender que eu jamais
                                                             havia falado tão a sério em minha
                                                             existência...   
                                                             Olha só, Lucca, deste cemitério
                                                              se vê o mar.
                                                                               (by Jorge Domingos)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Quem sou eu

Minha foto
Petropolis, Rio de Janeiro, Brazil
Jorge Domingos , Analista de Comércio Exterior ,louco por Cinema desde os 04 anos de idade.